Pular para o conteúdo principal

Em 2017 eu li... Ecos do Silêncio

Oi genteeee, tudo bem? Esse é o primeiro post do ano e eu já vou falar sobre um livro que amei. Pensem em um livro mágico, é esse *-* Em 2016 eu já havia lido ele, mas esse ano foi diferente, pois eu estou diferente, então eu consegui absorvê-lo melhor...

O livro Ecos do Silêncio é da editora Canção Nova e foi escrito por José Augusto Nasser. Ele conta com 119 páginas de pura lição de vida, pois ilustra a história de Anita Becker, uma jovem enfermeira que não conhecia o valor de seus próprios dons até colocá-los em prática. Anita trabalha em um hospital cujos pacientes não são vistos com o olhar de amor e misericórdia de que precisam. Em determinados momentos de seus tratamentos sentiam-se como que abandonados no mundo, esquecidos pela família e pela sociedade.

Anita se choca ao deparar-se, já em seu primeiro dia de trabalho, com uma morte repentina de um dos pacientes. A indiferença tomava conta do lugar que seria o seu local de trabalho pelos próximos anos. A morte desse paciente poderia ter sido evitada, se a indiferença não tomasse conta dos que ouviram seus últimos gemidos. Anita é então tomada por um profundo sentimento de indignação que a levaria a fazer muitas coisas que não eram feitas há muito tempo naquele hospital.

Depois daquele momento a jovem enfermeira conhece o "Sr. Bigode", um homem cuja sabedoria era imensa, o que encantava Anita toda vez que se conversavam. Sr. Bigode era um dos pacientes do hospital e já estava acostumado com a indiferença dos profissionais dali. Viveu muito tempo na rua, então sua sabedoria tinha sua origem marcada. Após se conhecerem Sr. Bigode passa a falar sobre dons e talentos para Anita. Para ele o seu dom era o da oratória, que o permitia contar histórias de uma forma envolvente, como ninguém contara antes.  Além disso ele dizia que todos nascemos com dons que nos são apresentados desde a infância, mas que as vezes, por ironias da vida, não eram usados, pelo contrário, eram esquecidos e deixados de lado, o que fazia grande falta no mundo.

Anita então se comove e passa a refletir sobre os dons que deixara para trás. Ela lembra que quando criança acompanhava sua tia artesã nos trabalhos que fazia e não concordava com as cores que ela usava, pois Anita era uma artista, e como o próprio livro diz, ela via o que ninguém via. Então depois dessa lembrança decidiu restaurar a imagem de uma santa que havia no hospital, já imaginava as cores que usaria em todas as partes. E assim o fez. No momento de restauração da imagem ela foi tendo um contato com o interior dela que precisava ser restaurado. Memórias boas e ruins passavam pela sua mente enquanto pintava. E então ela ia se curando de todos os seus traumas e dores. E nada disso aconteceria se ela não se colocasse em contato com os dons que Deus havia lhe dado de presente. O Sr. Bigode sempre a dizia que os dons de cada um é que transformam o mundo e o fazem melhor, o mundo precisa do dom que cada um tem!
Além de Anita e Sr. Bigode o livro conta com outros personagens que ilustram de forma incrível essa linda história de amor e cura. A principal mensagem que ele passa é que nós podemos ser curados e curar através do uso de nossos dons. A enfermeira Anita fez uma enorme diferença naquele hospital abandonado pelo caos e pelo desamor quando passou a usar os seus dons para  restaurar a imagem e ajudar os pacientes.

Ecos do Silêncio fala exatamente disso, da cura interior, da restauração que acontece exatamente quando há o silenciamento interior para a escuta daquilo que vem de dentro e se transporta para fora em forma de dons e talentos. Além disso fala sobre amor, perdão e auto conhecimento. E também nos leva a refletir se estamos usando ou não os dons que recebemos de graça quando nascemos, pois são eles que nos curam e nos fazem diferentes no mundo.
Você está usando os seus dons? O que está esperando? O mundo precisa deles e você também!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Hoje é tempo de regar

Hoje é tempo de regar. Hoje é tempo de cultivar aquilo que quero viver. Hoje é tempo de amar. Hoje é tempo de fazer o que eu ainda não fiz e manter aquilo que de bom já fiz. Hoje é tempo de agradecer mais em vez de reclamar. Hoje é tempo de escolher qual é o tipo de vida que eu quero viver. Hoje é tempo de ser quem eu sempre quis ser. Hoje é tempo de agir. Hoje é tempo de pensar, mas é tempo de respirar também. Hoje é tempo de relaxar, apenas trabalhar também não dá. Porque um dia, ah, um dia, todos iremos colher...

Hoje é tempo de investir. Hoje é tempo de brilhar. Hoje é tempo de reavaliar. Hoje é o tempo perfeito para olhar mais para o meu jardim. Hoje é tempo de escolher as sementes que quero plantar. Hoje é tempo de me conhecer. Hoje é o dia perfeito para regar em vez, novamente, de reclamar. Hoje é tempo de olhar com mais carinho para aqueles que quero por perto. Hoje é tempo de perdoar. Hoje é tempo de pedir perdão. Hoje é tempo de se priorizar. Hoje é tempo de plantar. Hoje é…

Enfim encontrei

Enfim encontrei um novo motivo para sorrir. Em meio ao caos, em meio a dor, em meio a solidão a escrita fez morada. Entre mil e um motivos para chorar eu pude voltar a sorrir. Por meio da escrita pude deleitar-me sobre as palavras e os sentimentos então expressar. A caminhada não foi fácil, mas o gosto do encontro fez valer a pena. No meio da vida, isso pode acontecer com qualquer um, e comigo aconteceu. Eu então me perdi. Fotografias, textos e lembranças vinham como uma ponta de luz na escuridão que o mar de desencontros me proporcionou. Mas, enfim encontrei.

Nessa caminhada muitos me ajudaram. O que eu não entendia era que quem tinha o mapa em mãos era eu. Ninguém mais, ninguém menos que eu mesma tinha o poder em mãos, o poder de me reencontrar. Enquanto esperei por todos a minha volta, o mar de desencontros apenas ficava mais fundo. E o encontro que tanto almejava apenas se afastava. Mas eu enfim encontrei. A escrita foi a minha grande aliada. Por meio dela pude reencontrar quem eu…

Afinal, o que é a depressão e como identificar? - Eu saí da depressão, você também pode!

Olá pensadores lindos! Tudo bem? Espero que sim viu *-*

Na postagem de hoje para a série "Eu saí da depressão, você também pode!" eu decidi definir em palavras o que é a DEPRESSÃO. É uma doença? É um problema espiritual? É um drama ou frescura da pessoa? Afinal, o que é a depressão? E tenho dois propósitos com ela: o primeiro é ajudar quem está nessa a entender o que se passa com ela para então buscar uma SOLUÇÃO e o segundo é um alerta para quem está de fora (família, parentes, amigos), para que possa compreender o que é a depressão e assim ajudar quem passa por ela. Dessa vez vou contar com a ajuda da minha psicóloga para realizar a postagem (olha que responsabilidade hein) respondendo a perguntas feitas por pessoas no grupo do Efeito Orna. Vamos lá?

Lembrando que já temos três postagens para a série, que são:
Início - Aqui é a postagem de inauguração na qual eu explico o que é a série e o propósito dela.
Sinais durante a vida - Nesta postagem eu já falo alguns sinais que, e…