Pular para o conteúdo principal

Hoje eu entendi que errar faz parte

É, eu demorei, eu relutei, eu briguei e me recusei sabe ao que? Eu me recusei a aceitar os meus próprios erros. Isso é estranho e também é mais um erro não é mesmo? Não aceitar os meus erros é errar ainda mais, é elevar os meus erros a um erro pior ainda, o erro de querer ser perfeita, o erro de me esquecer que sou um ser humano e não uma máquina programada para acertar, e olha que até as máquinas ora travam, ora precisam de uma manutenção.

Hoje eu refleti e percebi quanto tempo perdi negando os erros que cometi, negando as falhas que deixei pelo caminho. Hoje eu percebi que eu não sou perfeita, e que bom! Qual é a graça em ser? Qual é a graça em não ter nada para aprender nunca? Qual é a graça em exigir tanto de mim mesma? O resultado é só frustração, o resultado é algo que se torna inalcançável, pois a perfeição só acontecerá perto de minha morte (e olhe lá), pois, creio eu, que estarei mais dotada de aprendizados pelo caminho, de falhas e acertos e então será mais possível trilhar um caminho rumo a sonhada perfeição.

Hoje eu entendi, por meio de um vídeo que me fez refletir muito, que eu não preciso ser tão rígida comigo mesma. Que eu posso e devo compreender que eu nasci para acertar, mas para errar também. Hoje eu entendi que, mesmo que demore, eu preciso me aceitar como sou com tudo de bom e ruim que há em mim. Muito se fala sobre amor próprio, sobre se aceitar, mas poucos dizem que se aceitar é amar até o seu pior lado, e ele inclui todas as falhas que cometemos pelo caminho, todos os deslizes.
Fonte da imagem


Hoje eu entendi que eu posso errar e ainda errarei muito! E eu quero que, caso tenha alguém parecido comigo lendo esse texto, perfeccionista, que seja mais tolerante consigo mesmo. Que se olhe no espelho e se reconheça como alguém lindo, mesmo com suas falhas e defeitos. Que se ame, mas se ame de verdade não apenas quando acerta ou quando é o melhor. Que se ame mesmo quando falhar naquilo que você tanto queria que tivesse dado certo. Eu espero que você acorde antes do momento em que eu acordei, e perceba o quanto antes que a vida precisa ser vivida e isso incluir acertar e errar muitas e muitas vezes.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Obrigada Depressão!

Obrigada depressão por me ensinar aquilo que nenhum ensino fundamental, ensino médio ou  a faculdade me ensinou. Obrigada depressão, por me mostrar quem é de verdade e quem realmente me ajudou. Obrigada depressão, por me mostrar como o mundo ainda pode ser lindo em meio a tantos motivos para chorar e se amargurar. Obrigada depressão por me mostrar para que veio e por quem vale realmente a pena se importar. Obrigada depressão por fazer-me tanto me amar. Eu te agradeço, e não e pouco não.
Eu te agradeço por fazer-me resgatar. Agradeço por fazer-me resgatar aquela que sempre fui, mas ainda melhor e mais cheia para brilhar. Eu te agradeço por me fazer resgatar tudo aquilo que me faz mais plena e escrever é apenas mais um item dessa lista. Eu te agradeço por me mostrar o verdadeiro valor de um olhar, o valor de um olhar que está lá, apenas me esperando para ajudar. Em meio a tanta dor eu confesso que não quis te aceitar, mas hoje em dia eu vejo que o melhor que fiz foi te deixar entrar.
O…

O dia em que deixei de me afogar e aprendi a nadar sozinha

Senti desespero. Me senti sozinha mesmo estando entre tantas pessoas. Eram pessoas que me amavam, eu sei disso. Cuidavam de mim. Eram meus amigos. Por que tanto medo? Por que tanto receio? Por que esse desespero? Eu não sei. Simplesmente sentia e vinha como um furacão, era apenas um pensamento e pronto: desespero, confusão e angústia tomavam conta de mim. Eu não entendia e ninguém entenderia. Como entenderiam algo que nem mesmo quem sente entende? Me sentia perdida e só. Me sentia confusa e incompreendida. Não me sentia eu e isso era péssimo. O que estava acontecendo? Por que sentir tudo aquilo?
Você estava ao meu lado, você sempre esteve. Obrigada. Conversei contigo, desabafei e tive vontade de chorar... E chorei. Precisava daquele momento. Estranho momento. Você me ouviu, assim como alguém que ouve atentamente ao recado de alguém para saber o que fazer depois. Você me ouviu, processou o que eu te dizia e logo percebeu quantas asneiras e peripécias a minha mente criara. Já não era eu…

Penso, logo sonho...

Eu sonho com aquilo que é possível, mas sonho com aquilo que parece impossível também. É que o impossível e o "jamais feito" muito me atraem. Não me levem a mal, mas é que o mundo já me enche tanto daquilo que é igual, daquilo que é rotina, que sonhar com a impossibilidade me faz transcender. Se depender de mim já sabe, eu não vou parar enquanto não ver o impossível acontecer. Vou mover mundos e fundos, mas nunca vou pensar em desistir ou achar que não sou capaz, porque desistir pra mim já é um verbo que nem gosto de pronunciar e na incapacidade eu definitivamente não acredito.

O engraçado é que sempre fui assim, sonhadora, e ai de quem tenta tirar isso de mim. Não pode! Tirar os sonhos do meu coração é como matar a minha alma com tantos "não". Por que não posso criar tal coisa? Porque não. Por que o mundo não pode ser diferente? Porque ele é assim, oras... Como assim? Tudo bem que mudar tudo pareça tão utópico, eu entendo, mas pelo menos uma parte dá pra tentar va…