Pular para o conteúdo principal

O problema nunca foi o dinheiro

Estive pensando sobre a minha, a sua, a nossa relação com o dinheiro. E pelo menos a minha era legal, até que em determinado momento passei a questionar o sentido de trabalhar para então ganhar. Passei a me questionar o sentido do ter dinheiro, afinal, para que? Fiquei pensando no sentido da vida, afinal, o sentido da minha estava baseado em uma lista de coisas a fazer e depois de coisas a ter. Claro, ter algumas coisas que ajudam na nossa existência humana é necessário. Mas basear a minha passagem por esse mundo nesse sentido com certeza não! Eu estava pensando era no final de tudo. E depois de conquistarmos tudo o que queremos, o que faremos? E depois da faculdade, dos filhos, da carteira de habilitação, de tudo, de termos tudo o que queríamos e sonhávamos, quem seremos? Ficaremos parados, estagnados olhando para tudo aquilo. E aí, o que será? A vida então era isso? Pra mim não, eu queria mais.

E depois de uma longa jornada de crise existencial e auto conhecimento pude ir redirecionando as coisas. E passei então a pensar na questão do dinheiro e ver que se bem direcionado ele faz é um bem danado. Afinal, ter só por ter não preenche a alma e não muda em nada o mundo. Parte disso eu sabia, mas no meio do caminho me perdi. Me vi como um robô, seguindo o fluxo e colocando o sentido de minha existência naquilo que não dá sentido a ela. A verdade é que a visão negativa sobre o ter me impossibilitou de enxergar as possibilidades existentes exatamente nisso, em ter! A verdade, mais do que certa para mim hoje, é que ter dinheiro é bom sim, e quanto mais temos melhor. E sabe por que? Por que quanto mais temos mais podemos ajudar, quanto mais temos mais podemos o mundo mudar, quanto mais temos mais podemos agir.

Essa é a realidade de uma sociedade capitalista. Se quer agir nela é preciso ter. Parece duro e até feio, mas é real.

Confesso que demorou um pouco, e principalmente depois dessa crise existencial na qual eu passei a enxergar o fato de ter dinheiro como algo sem sentido e negativo, mas eu pude ver o lado bom do dinheiro. Pude enxergar a sua contribuição em relação ao sentido da vida. E olha que demorei. Pude perceber que o problema nunca foi ele. O problema foi, é e sempre será sobre a forma como ele é usado. O problema diz respeito a como ele é direcionado. O problema é sobre a sua distribuição. O problema não é sobre ele, mas sim sobre quem o usa e como.

Depois de toda essa loucura mental pude então ver o lado bom em ter dinheiro. Posso hoje enxergar nele uma possibilidade de realizar missões que precisam ser realizadas no mundo. Diminuir a fome, a pobreza, dar oportunidades, ajudar o maior número de famílias e por aí vai. O problema nunca foi o dinheiro, dessa vez ele é a porta de entrada para tudo o que quero fazer no mundo. E para você, o que o dinheiro representa?
Fonte da Imagem

Comentários

  1. O dinheiro pra mim representa a melhor coisa que posso ter e receber! Por um tempo, eu também achava que o dinheiro não trazia benefícios. Mas agora lendo seu blog só reforça o que conclui há um tempo: A culpa nunca foi do dinheiro, mas de quem e como o administra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não diria a melhor coisa, mas uma das mais necessárias para realizarmos nossos sonhos :) Exatamente! Que bom que agora você consegue ter um novo olhar sobre essa coisinha que não é maléfica, basta usarmos com sabedoria. Um beijo

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Projetos, Canais e Livros para te ajudar - Eu saí da depressão, você também pode!

Olá pensadores, tudo bem com vocês? Espero que sim *-* Peço perdão pela demora, é que a vida vem e as vezes ela cobra algumas pausas da gente, mas já estou de volta para dar continuidade e logo menos encerrar essa série que já ajudou tanta gente. Desde já agradeço você que acompanha desde o começo ou que acompanha desde agora, te agradeço por estar aqui.

Dessa vez eu decidi trazer projetos/canais e livros que me ajudaram muito, mesmo que de maneira virtual, quando eu estava assim. Eles me ajudavam a ver que existia sim uma saída e além disso a não me sentir sozinha, porque esses mesmos projetos reuniam pessoas que passavam pelo mesmo que eu. E lembro que esses projetos, canais e livros NÃO substituem o acompanhamento com profissionais, quando são bons profissionais te auxiliam da melhor maneira no encontro do SEU caminho de cura tá bom? Então, vamos ver?
Lembrando que, para a série "Eu saí da depressão, você também pode!", já temos seis postagens que fiz com todo o amor do m…

Quais são suas dúvidas? - Eu saí da depressão, você também pode!

Olá pensadores, tudo bem com vocês? Então, dessa vez venho com a 9ª postagem para a série "Eu saí da depressão, você também pode!". É um misto de sentimentos que tomam conta de mim no momento, me sinto muito feliz e grata por tantas coisas boas que essa série me proporcionou ao mesmo tempo que me sinto chateada por estarmos beirando o seu fim.

Dessa vez venho com algumas dúvidas que me enviaram sobre o tema, algumas eu vou responder por mim e outras terão respostas produzidas pela minha psicóloga Luana Fernandes. Além delas terão perguntas que eu mesma criei. Vamos ver?
Lembrando que, para a série "Eu saí da depressão, você também pode!", já temos oito postagens que fiz com todo o amor do mundo para vocês, que são:
Início - Aqui é a postagem de inauguração na qual eu explico o que é a série e o propósito dela.
Sinais durante a vida - Nesta postagem eu já falo alguns sinais que, eu não percebi, mas já existiam durante a minha vida e indicavam algo que poderia se torna…

Deixe-me livre para ser...

Me deixe livre para criar. Me deixe livre para viver. Me deixe livre para sonhar e também para escolher. Faça de tudo por mim, mas por favor me deixe livre. Por um tempo quis ficar dentro de uma caixa para não causar conflitos, por assumir quem realmente sou. Não sabia dizer não para aquilo que não fazia sentido pra mim. Então percebi que conflito maior é não ser quem se é. Conflito maior é se sentir preso em uma vida e um corpo que não são seus. Conflito maior é não ser quem nasceu para ser. E quem tem espírito de artista sofre com isso.

Porque para todos tudo é muito fácil. A vida é uma receita de bolo que envolve início meio e fim, mas para quem é artista a receita não é tão simples assim. Para quem tem alma e espírito de artista viver é muito mais do que isso, viver envolve criar, viver envolve não se enquadrar, viver envolve sorrir e também sofrer. Viver envolve muito mais do que fazer isso, aquilo e aquilo outro que nos dizem ser o que precisamos fazer. Regras e burocracias defi…