Pular para o conteúdo principal

Manias, manias, todos temos e não vivemos sem.

Ora boas, ora ruins as manias sempre estiveram, estão e estarão presentes em nossas vidas. Cada um tem a sua. O engraçado é que na maioria das vezes não conseguimos enteder a do próximo. Sim, isso é normal do ser humano. Porque se não tivéssemos manias tudo seria muito monótomo e sem "fontes de discussão" melhor dizendo. Manias nos levam a discutir muitas coisas. Nos levam a analisar os diferentes gostos de cada um. Não adianta mentir falando que você não tem uma mania porque desse jeito vocês estará se fazendo de anormal, estará mentindo logicamente falando (durh). Portanto, se você tem uma mania, nem tenha vergonha de mostrar pois estará mostrando o seu eu na verdade. O quem você é, que muitas vezes se mostra nas manias, gostos e afetos de cada um.
Ai manias! São tantas que as vezes se perdem.
Manias podem ser classificadas em vários gêneros, pelo menos ao meu ver. Podem ser toscas, engraçadas, idiotas, irritantes, inusitadas, inexplicáveis ou até mesmo anormais rs. O ponto positivo que merece destaque das manias, é que elas nos fazem diferentes dos demais, elas são essencias na hora de falar eu sou tal pessoa, eu tenho tal gosto, minha mania é tal. As manias são um dos critérios que podemos usar quando definimos a personalidade de alguma pessoa. Exemplo: Se a pessoa tem mania/supertição de não deixar os chinelos virados pra baixo, é porque acredita em alguma coisa, ou seja : é uma pessoa supersticiosa (esse já é um dado que se pode levar em conta na hora de definir o quem sou eu dessa pessoa).

Quando falo em manias logo lembro de viajens em grupos de amigos rs. Nessas viajens o que mais causa discussão são as benditas das manias. Como falei anteriormente, cada um tem a sua e isso dá muito "pano pra manga" na hora de organizar as coisas, tarefas e direitos de cada um na casa. Pode perceber que sempre tem alguém que tem a mania de jogar a toalha molhada na cama, e outro tem mania de perfeição. Ou seja, mais uma discussão para o histórico de discussões da tal viajem rs.
Porém sempre temos de tentar entender o próximo, sim, isso é muuuito dificil mas não é impossível, pelo menos pra mim que tenho as ideias mais absurdas e talvez impossíveis para muitos. Pode perceber que se tentássemos entender a mania do próximo, conviveríamos mais em harmonia e diminuiríamos o número de brigas e desentendimentos entre amigos, família e etc.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Obrigada Depressão!

Obrigada depressão por me ensinar aquilo que nenhum ensino fundamental, ensino médio ou  a faculdade me ensinou. Obrigada depressão, por me mostrar quem é de verdade e quem realmente me ajudou. Obrigada depressão, por me mostrar como o mundo ainda pode ser lindo em meio a tantos motivos para chorar e se amargurar. Obrigada depressão por me mostrar para que veio e por quem vale realmente a pena se importar. Obrigada depressão por fazer-me tanto me amar. Eu te agradeço, e não e pouco não.
Eu te agradeço por fazer-me resgatar. Agradeço por fazer-me resgatar aquela que sempre fui, mas ainda melhor e mais cheia para brilhar. Eu te agradeço por me fazer resgatar tudo aquilo que me faz mais plena e escrever é apenas mais um item dessa lista. Eu te agradeço por me mostrar o verdadeiro valor de um olhar, o valor de um olhar que está lá, apenas me esperando para ajudar. Em meio a tanta dor eu confesso que não quis te aceitar, mas hoje em dia eu vejo que o melhor que fiz foi te deixar entrar.
O…

O dia em que deixei de me afogar e aprendi a nadar sozinha

Senti desespero. Me senti sozinha mesmo estando entre tantas pessoas. Eram pessoas que me amavam, eu sei disso. Cuidavam de mim. Eram meus amigos. Por que tanto medo? Por que tanto receio? Por que esse desespero? Eu não sei. Simplesmente sentia e vinha como um furacão, era apenas um pensamento e pronto: desespero, confusão e angústia tomavam conta de mim. Eu não entendia e ninguém entenderia. Como entenderiam algo que nem mesmo quem sente entende? Me sentia perdida e só. Me sentia confusa e incompreendida. Não me sentia eu e isso era péssimo. O que estava acontecendo? Por que sentir tudo aquilo?
Você estava ao meu lado, você sempre esteve. Obrigada. Conversei contigo, desabafei e tive vontade de chorar... E chorei. Precisava daquele momento. Estranho momento. Você me ouviu, assim como alguém que ouve atentamente ao recado de alguém para saber o que fazer depois. Você me ouviu, processou o que eu te dizia e logo percebeu quantas asneiras e peripécias a minha mente criara. Já não era eu…

Penso, logo sonho...

Eu sonho com aquilo que é possível, mas sonho com aquilo que parece impossível também. É que o impossível e o "jamais feito" muito me atraem. Não me levem a mal, mas é que o mundo já me enche tanto daquilo que é igual, daquilo que é rotina, que sonhar com a impossibilidade me faz transcender. Se depender de mim já sabe, eu não vou parar enquanto não ver o impossível acontecer. Vou mover mundos e fundos, mas nunca vou pensar em desistir ou achar que não sou capaz, porque desistir pra mim já é um verbo que nem gosto de pronunciar e na incapacidade eu definitivamente não acredito.

O engraçado é que sempre fui assim, sonhadora, e ai de quem tenta tirar isso de mim. Não pode! Tirar os sonhos do meu coração é como matar a minha alma com tantos "não". Por que não posso criar tal coisa? Porque não. Por que o mundo não pode ser diferente? Porque ele é assim, oras... Como assim? Tudo bem que mudar tudo pareça tão utópico, eu entendo, mas pelo menos uma parte dá pra tentar va…