Pular para o conteúdo principal

Minha escolha por Jornalismo

Como sei que muitas pessoas tem essa dificuldade na escolha do curso, tentarei ajudá-los contando minha experiência. Já de início é bom saberem que a escolha do curso é algo pessoal. Aqui no blog você vai encontrar a decisão de um curso de um olhar pessoal meu. Um registro de minha experiência na escolha do curso Universitário. Quem se identificar bem, quem não, continue tentando, cada um tem sua hora de escolha e mesmo que ela demore pra chegar a vida continua linda!
A escolha do curso Universitário é algo que desde o ensino fundamental foi sendo desenhado pra mim e por mim. Minhas habilidades com a escrita e o amor pela leitura foram de grande ajuda. E além disso, minha curiosidade por coisas novas e interesses pelas histórias das pessoas também contribuíram. Sempre fui observando minhas características, pois o auto-conhecimento é o grande "X" da nossa escolha. Quando conhecemos nossas habilidades e nossos gostos temos nossas escolhas se formando. Desse modo fui "peneirando" as possibilidades.
Com o gosto pela escrita e leitura, poderia escolher: letras, relações públicas, produção editorial, entre outros. E com o gosto por novidades muitas outras. Mas juntando os dois não vi melhor opção do que o jornalismo, porque além de aproveitar minhas habilidades na escrita e leitura, o jornalismo tende a alimentar meu gosto por novas histórias. Além disso, no jornalismo tenho opções variadas sobre as áreas que poderei seguir, sempre aproveitando minhas habilidades, por exemplo, mesmo gostando de escrever, tenho um grande gosto por assuntos relacionados a estética e ao entretenimento (cultura, música, artes), o que me possibilita trabalhar em revistas teen, femininas entre tantas outras.
A flexibilidade que o jornalismo proporciona foi de grande peso para mim. Porque é uma profissão que te deixa seguir seu próprio caminho, que não te limita a um único conhecimento! Há coisa melhor? Pra mim não e pra você?
Em resumo, você pode escolher seu curso Universitário tendo por base tudo que viveu desde o Ensino Fundamental ao Ensino Médio em relação às disciplinas e suas habilidades com elas. Depois, basta achar um curso que melhor se encaixe na sua vivência como aluno e no conhecimento de suas habilidades!

Gostaram? Escrevam suas impressões nos comentários, elas que me ajudam a aprimorar.
Beijocas e Paçocas :*

Comentários

  1. Nossa que legal super curti o post! Deve ser muito legal jornalismo...
    Super curti a foto do final.
    Beijokas da Camila e Carol
    Seguindo o blog pra acompanhar as novidades!
    http://www.vamospapear.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, eu estou gostando bastante, porque aprendo coisas que eu nem imaginava que as pessoas faziam para realizar uma reportagem e coisas do tipo. A foto foi da minha segunda gravação de link que é o relato de um fato ao vivo no local que aconteceu.
      Obrigada, espero que goste viu *-*

      Excluir
  2. Ah já tive muita vontade de fazer jornalismo, acho muito legal!
    Acabei virando psicóloga haha
    Um beijo

    Dicas para Todas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Psicologia também estava na minha lista, mas acabei optando pelo jornalismo mesmo e estou amando, tanto psic quanto jornal são lindas áreas *-* Beijocas!

      Excluir
  3. Jornalismo me atrai muito pois amo escrever, pra mim é como consigo me expressar, mas a arte é minha maior paixão e nem que eu esteja com 80 anos ainda sim farei artes, sempre soube disso mas se decidir mesmo pelo curso só consegui agora com quase 30 anos pois fui instruída a querer algo que fosse me trazer estabilidade financeira o resultado: não fiz nenhum pois não iria até o fim de um curso que estaria fazendo apenas por conveniência, mas estou esclarecida agora e inclusive estou estudando para quem sabe ano que vem começar meu tão sonhado curso de artes.
    Bjuss!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, sempre pensei nisso na hora de escolher. Acho que esse dilema existe pra todos "escolher um curso que me dê um bom emprego ou um relacionado ao que sempre gostei de fazer?" é realmente muito difícil, maravilhoso é quando conseguimos juntar um ao outro não é mesmo?
      Que bom que conseguiu se decidir, espero que seja muito feliz em sua escolha.
      Beijocas

      Excluir
  4. Você está em que período, Carol? Conta mais! Eu também escolhi essa profissão. Ja pensei em fazer letras, história, mas no final também achei que o jornalismo me proporcionaria algo maior e por ser algo que eu me identifico e gosto muito. Vou começar agora no meio do ano, estou super ansiosa! Parabéns pelo texto! Bjs
    tumultuada.wordpress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi flor! Agora eu estou no 2º semestre e estou preparando uma postagem sobre isso *-* Ebaaa, então seremos amigas de profissão *-* Já pensei em letras também HASUHSUAH acho que deve ser o perfil das pessoas da área de jornalismo que serve também para letras, história. Nossa, aqui na minha faculdade não se inicia curso de comunicação no meio do ano, só em começo de ano então as pessoas tem que esperar o ano todo passar para se inscrever.
      Obrigada flor, volte sempre viu!
      Beijocas

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Obrigada Depressão!

Obrigada depressão por me ensinar aquilo que nenhum ensino fundamental, ensino médio ou  a faculdade me ensinou. Obrigada depressão, por me mostrar quem é de verdade e quem realmente me ajudou. Obrigada depressão, por me mostrar como o mundo ainda pode ser lindo em meio a tantos motivos para chorar e se amargurar. Obrigada depressão por me mostrar para que veio e por quem vale realmente a pena se importar. Obrigada depressão por fazer-me tanto me amar. Eu te agradeço, e não e pouco não.
Eu te agradeço por fazer-me resgatar. Agradeço por fazer-me resgatar aquela que sempre fui, mas ainda melhor e mais cheia para brilhar. Eu te agradeço por me fazer resgatar tudo aquilo que me faz mais plena e escrever é apenas mais um item dessa lista. Eu te agradeço por me mostrar o verdadeiro valor de um olhar, o valor de um olhar que está lá, apenas me esperando para ajudar. Em meio a tanta dor eu confesso que não quis te aceitar, mas hoje em dia eu vejo que o melhor que fiz foi te deixar entrar.
O…

O dia em que deixei de me afogar e aprendi a nadar sozinha

Senti desespero. Me senti sozinha mesmo estando entre tantas pessoas. Eram pessoas que me amavam, eu sei disso. Cuidavam de mim. Eram meus amigos. Por que tanto medo? Por que tanto receio? Por que esse desespero? Eu não sei. Simplesmente sentia e vinha como um furacão, era apenas um pensamento e pronto: desespero, confusão e angústia tomavam conta de mim. Eu não entendia e ninguém entenderia. Como entenderiam algo que nem mesmo quem sente entende? Me sentia perdida e só. Me sentia confusa e incompreendida. Não me sentia eu e isso era péssimo. O que estava acontecendo? Por que sentir tudo aquilo?
Você estava ao meu lado, você sempre esteve. Obrigada. Conversei contigo, desabafei e tive vontade de chorar... E chorei. Precisava daquele momento. Estranho momento. Você me ouviu, assim como alguém que ouve atentamente ao recado de alguém para saber o que fazer depois. Você me ouviu, processou o que eu te dizia e logo percebeu quantas asneiras e peripécias a minha mente criara. Já não era eu…

Nunca deixe que lhe roubem a sua essência!

Você é do tipo brincalhão ou quieto? Você é do tipo introvertido ou extrovertido? Você é do tipo colorido ou preto e branco? Você é do tipo que sonha muito ou não? Você é o que? Ultimamente ando refletindo bastante sobre isso. Sobre ser o que você é e sobre ser o que os outros querem que você seja. Eis aí um perigo! A minha personalidade é única e a sua também e não podemos deixar que nada nem ninguém nos roube isso ok? E eu vejo isso que acontece bastante, o roubo da essência, estranho né? Nem tanto...

Todos nós nascemos de um jeito e somos únicos. Desde pequenos temos dons e um jeito de olhar as coisas que é só nosso. Ao longo da vida cruzamos com pessoas diferentes de nós que muitas vezes não compreendem nosso jeito único de ser e se acham no direito de criticar/julgar a nossa personalidade. Um exemplo é o de pessoas introvertidas que sempre ouvem "nossa você está falando muito hein" ou "fulando não cala a boca" (em tom de ironia sabe), mas que infelizmente nunc…