Pular para o conteúdo principal

Carta de mim para eu mesma...

Bom dia eu, tudo bem com você?
Sei que não... Você anda muito desanimada ultimamente, seus olhos estão caídos, a tristeza tomou conta de ti. Eu vejo isso, basta olhar no espelho. Enxergo o reflexo de tudo o que carrega no mais profundo do seu ser. Percebo que precisa fazer algo pra mudar isso e que tal vir comigo?

Eu tenho algumas ideias e espero que você as siga. Foram ideias tiradas de mim para você mesma. E eis algumas delas: Você precisa resgatar o seu eu verdadeiro. Você precisa amar a si mesmo. Você precisa voltar a se conhecer. Você precisa também enfrentar suas dúvidas e seus medos.

E como poderá fazer tudo isso? Bem, é simples: para se amar mais você precisa olhar para si mesma, lembrar de tudo o que te faz ser única, lembrar o que faz com gosto e alegria e voltar a fazer. Para voltar a se conhecer você precisa de mais momentos em silêncio, precisa olhar para dentro de si, precisa esquecer as pessoas que estão em sua volta, precisa prestar atenção no que te fere e no que precisa fazer com isso, seja jogar fora ou aprender primeiro e depois jogar fora, você precisa voltar a se conhecer, assim o voltar a se amar vai ser mais fácil ainda. Para enfrentar suas dúvidas e medos é mais simples ainda: você precisa lembrar que nasceu sem todos eles, você era simples e pura e por que agora tem que viver com todo esse peso de medo e dúvida? Ele não é seu. Essa é a tecla que você mais deve bater, você precisa parar com toda essa insegurança e esse aperto no peito só de pensar em não ser o que deveria ou não ser o que gostariam que fosse...

Mais do que todos esses conselhos, você precisa seguir este que venho a repetir: resgatar o seu eu verdadeiro. Sabe aquele eu que ria de tudo e se amava antes que tudo e todos? Aquele eu que não ligava pra o que os outros diziam e seguia assim mesmo... Bem, talvez toda essa necessidade de resgate do EU vai te servir para que, na verdade perceba, que o eu que você pensava ser tão forte e verdadeiro precisava de alterações. Precisava mudar seus padrões de pensamento que ao longo do tempo foram tomando conta de você e te colocaram uma armadura tão pesada sobre o corpo.

Você precisa se libertar! E um dos passos que precisa para que isso aconteça já está sendo dado: você está me lendo, obrigada! Essa carta vai te servir para que em todos os momentos em que se esquecer de tudo o que te faz mais viva, de tudo o que fortalece o seu eu verdadeiro você relembre todos os passos que precisa seguir para resgatar tudo isso. Por favor, me leve a sério, não desconfie do que quero te dizer. Você precisa levar a sério e sempre retornar aqui quando sentir o seu eu verdadeiro sendo esquecido, para lembrar que, na verdade, ele sempre está aí dentro, esperando você retirar as armaduras que impedem que ele sempre se manifeste...
Atenciosamente,
mim.
Inspirado no livro O cavaleiro preso na armadura, de Robert Fisher

Comentários

  1. Lindo texto Carol, parabéns !!

    http://mylifeascah.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Isso é muito legal.
    Muito bonito.


    Bjim ...
    blog Usei Hoje

    ResponderExcluir
  3. Carol, sua carta é linda e te ajudará muito em momentos difíceis. Digo isso porque quando era pequena fiz uma cápsula do tempo com alguns amigos. Depois de dez anos abrimos e a experiência de ler uma carta escrita a mim, por mim, foi única. Guarde esta carta não só o teu blog, mas em um lugar onde ela sempre possa ser lida.

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada flor! Sim, ela me ajudou ainda mais quando escrevi. Espero que te ajude também *-* Com certeza guardarei! Aah que legal essa ideia, creio que devem estar bem diferentes hoje em dia né?
      Beijocas!

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Obrigada Depressão!

Obrigada depressão por me ensinar aquilo que nenhum ensino fundamental, ensino médio ou  a faculdade me ensinou. Obrigada depressão, por me mostrar quem é de verdade e quem realmente me ajudou. Obrigada depressão, por me mostrar como o mundo ainda pode ser lindo em meio a tantos motivos para chorar e se amargurar. Obrigada depressão por me mostrar para que veio e por quem vale realmente a pena se importar. Obrigada depressão por fazer-me tanto me amar. Eu te agradeço, e não e pouco não.
Eu te agradeço por fazer-me resgatar. Agradeço por fazer-me resgatar aquela que sempre fui, mas ainda melhor e mais cheia para brilhar. Eu te agradeço por me fazer resgatar tudo aquilo que me faz mais plena e escrever é apenas mais um item dessa lista. Eu te agradeço por me mostrar o verdadeiro valor de um olhar, o valor de um olhar que está lá, apenas me esperando para ajudar. Em meio a tanta dor eu confesso que não quis te aceitar, mas hoje em dia eu vejo que o melhor que fiz foi te deixar entrar.
O…

O dia em que deixei de me afogar e aprendi a nadar sozinha

Senti desespero. Me senti sozinha mesmo estando entre tantas pessoas. Eram pessoas que me amavam, eu sei disso. Cuidavam de mim. Eram meus amigos. Por que tanto medo? Por que tanto receio? Por que esse desespero? Eu não sei. Simplesmente sentia e vinha como um furacão, era apenas um pensamento e pronto: desespero, confusão e angústia tomavam conta de mim. Eu não entendia e ninguém entenderia. Como entenderiam algo que nem mesmo quem sente entende? Me sentia perdida e só. Me sentia confusa e incompreendida. Não me sentia eu e isso era péssimo. O que estava acontecendo? Por que sentir tudo aquilo?
Você estava ao meu lado, você sempre esteve. Obrigada. Conversei contigo, desabafei e tive vontade de chorar... E chorei. Precisava daquele momento. Estranho momento. Você me ouviu, assim como alguém que ouve atentamente ao recado de alguém para saber o que fazer depois. Você me ouviu, processou o que eu te dizia e logo percebeu quantas asneiras e peripécias a minha mente criara. Já não era eu…

Penso, logo sonho...

Eu sonho com aquilo que é possível, mas sonho com aquilo que parece impossível também. É que o impossível e o "jamais feito" muito me atraem. Não me levem a mal, mas é que o mundo já me enche tanto daquilo que é igual, daquilo que é rotina, que sonhar com a impossibilidade me faz transcender. Se depender de mim já sabe, eu não vou parar enquanto não ver o impossível acontecer. Vou mover mundos e fundos, mas nunca vou pensar em desistir ou achar que não sou capaz, porque desistir pra mim já é um verbo que nem gosto de pronunciar e na incapacidade eu definitivamente não acredito.

O engraçado é que sempre fui assim, sonhadora, e ai de quem tenta tirar isso de mim. Não pode! Tirar os sonhos do meu coração é como matar a minha alma com tantos "não". Por que não posso criar tal coisa? Porque não. Por que o mundo não pode ser diferente? Porque ele é assim, oras... Como assim? Tudo bem que mudar tudo pareça tão utópico, eu entendo, mas pelo menos uma parte dá pra tentar va…