Pular para o conteúdo principal

A timidez sempre foi um medo disfarçado

Ela sempre fora tímida. Daquelas que chegam num lugar e assusta com o silêncio que apresenta. Nada mais do que isso. Nem nada menos. Aquilo era o menor que ela conseguia ser e ela não era feliz por isso. Aquilo era sinônimo de mostrar o menor lado de sua personalidade ou quase nada dela. Ela queria ser mais. Ela queria ser grande, mostrar para o mundo a grandeza que havia em sua pequenez. Grandeza essa que era pouco conhecida. Grandeza essa disfarçada por algo que a acompanhara sempre: a timidez.

Fonte da imagem
Ela costumava chegar nos lugares e quando estava pra vir embora sentia-se a vontade para ser ela mesma. Que pena, já havia passado muito tempo e o melhor da confraternização já havia ficado para trás... Ela sentia-se a vontade, mas era tarde demais. Já havia passado muito tempo ali, calada. Quando grande parte das pessoas havia ido embora ela queria mostrar o que era.  É claro, neste momento o peso do medo que insistia em colocá-la pra baixo estava menor.

Ela se sentia mais leve. Eram menos seres para julgá-la. Eram poucos que se dedicariam a prestar atenção em seus devaneios. A probabilidade de uma não aceitação era bem menor do que há algumas horas antes. O perigo em não ser aceita era menor. O medo parecia estar esvaindo-se fazendo aparecer tudo o que ela era de verdade e o que ela queria ser. Isso a incomodava profundamente e infelizmente não sabia como alterar tal realidade. Não sabia que em apenas alguns passos tudo isso poderia desaparecer e fazê-la ser feliz como nunca fora.

A receita era básica. Ela precisava se desfazer do medo que sempre a acompanhara. Ela tinha o medo de não ser aceita e também o medo de não ser como os outros. Mas pensando bem, ela não precisara ser aceita e nem ser como os outros. O que ela precisava era ser ela mesma, sendo aceita ou não. Ela precisava se sentir à vontade e bem. Ser como os outros é bobagem, cada um tem sua essência e sua personalidade, era difícil fazê-la entender. Ser como os outros era ser mais um e o legal era ser um mais um diferente e ser aceita exatamente por isso. Ela precisava enxergar que a sua diferença era essencial para os outros. Eles sentiam falta disso. Os outros, ao contrário do que ela pensava, queriam algo que fosse diferente mesmo. Ser igual a eles era muito chato e em nada os acrescentaria.

Custou a entender. Custou a aceitar. O trabalho foi árduo e parte dele ainda continua sendo. A verdade é que o cansaço de ser o que não era veio à tona. A timidez precisou ser expulsa de sua vida. E assim ela foi. A necessidade foi sentida fortemente. Expulsar algo que não a fazia bem se fez vital para ela. Algo que precisava ser feito o mais rápido possível. E assim fez-se passado. A timidez se foi. O medo foi junto. Sinceramente, o medo foi antes da timidez, porque ela era só um disfarce pra ele. E quem via de fora nem percebia. Ela sempre se vestiu de timidez para disfarçar o medo do mundo e que bom que ela finalmente pôde se despir.

Comentários

  1. Que texto lindo! Muitas vezes o medo e a timidez realmente caminham juntos e causam tanto sofrimento..
    Beijo

    Dicas para Todas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada mari *-* É exatamente por isso que temos que nos livrar deles não é mesmo?
      Beijocas

      Excluir
  2. A timidez nos impede de tantas coisas, pois muitas vezes acabamos deixando ela tomar conta da gente, e isso nao conseguimos fazer o que queremos e nem o que planejamos :/ Texto perfeito more. Beijos!
    Espero você lá <3
    http://www.atrasdpenteadeira.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, não podemos ser impedidos por ela. Ela é só um fantasma que deve ser deixado de lado. Muito obrigada, beijocas!

      Excluir
  3. Eu amei o texto, eu não sei dizer sobre a timidez porque nunca fui timida, eu chego em um lugar ja falo com todos as vezes não gosta de ser tão tagarela, eu admiro pessoas mais na sua sabe, amei seu blog e estou seguindo beijos http://www.blogdaxavier.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah isso é muito bom *-* obrigada, que bom que gostou, beijocas!

      Excluir
  4. Temos que ser como somo,não adianta querer ser parecido com ninguém porque todos tem sua essência,absolutamente ninguém é parecido com ninguém.
    Goste do texto *-*
    Bjnhs

    http://karoline-o-meu-melhor.blogspot.com/2015/09/cachoeira-do-tempo.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim sim, cada um tem seu jeitinho de ser *-* que bom que gostou, beijocas

      Excluir
  5. Eu era muito tímida, mas depois que comecei a dar aulas, fiquei sem vergonha! Hahahaha
    Adorei o jeitinho que você escreve, leve...
    Parabéns!

    Blog | Fanpage

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parece ser uma questão de prática né HAUSUSHAH beijocas! Aaah que bom que gostou, volte sempre.

      Excluir
  6. Amei seu cantinho já estou seguindo, estou começando agora como blogueira gostaria que visitasse minha pagina e me seguisse, obrigada bjsss
    http://josianecavalli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah que bom que gostou *-* visito sim, beijocas!

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Obrigada Depressão!

Obrigada depressão por me ensinar aquilo que nenhum ensino fundamental, ensino médio ou  a faculdade me ensinou. Obrigada depressão, por me mostrar quem é de verdade e quem realmente me ajudou. Obrigada depressão, por me mostrar como o mundo ainda pode ser lindo em meio a tantos motivos para chorar e se amargurar. Obrigada depressão por me mostrar para que veio e por quem vale realmente a pena se importar. Obrigada depressão por fazer-me tanto me amar. Eu te agradeço, e não e pouco não.
Eu te agradeço por fazer-me resgatar. Agradeço por fazer-me resgatar aquela que sempre fui, mas ainda melhor e mais cheia para brilhar. Eu te agradeço por me fazer resgatar tudo aquilo que me faz mais plena e escrever é apenas mais um item dessa lista. Eu te agradeço por me mostrar o verdadeiro valor de um olhar, o valor de um olhar que está lá, apenas me esperando para ajudar. Em meio a tanta dor eu confesso que não quis te aceitar, mas hoje em dia eu vejo que o melhor que fiz foi te deixar entrar.
O…

O dia em que deixei de me afogar e aprendi a nadar sozinha

Senti desespero. Me senti sozinha mesmo estando entre tantas pessoas. Eram pessoas que me amavam, eu sei disso. Cuidavam de mim. Eram meus amigos. Por que tanto medo? Por que tanto receio? Por que esse desespero? Eu não sei. Simplesmente sentia e vinha como um furacão, era apenas um pensamento e pronto: desespero, confusão e angústia tomavam conta de mim. Eu não entendia e ninguém entenderia. Como entenderiam algo que nem mesmo quem sente entende? Me sentia perdida e só. Me sentia confusa e incompreendida. Não me sentia eu e isso era péssimo. O que estava acontecendo? Por que sentir tudo aquilo?
Você estava ao meu lado, você sempre esteve. Obrigada. Conversei contigo, desabafei e tive vontade de chorar... E chorei. Precisava daquele momento. Estranho momento. Você me ouviu, assim como alguém que ouve atentamente ao recado de alguém para saber o que fazer depois. Você me ouviu, processou o que eu te dizia e logo percebeu quantas asneiras e peripécias a minha mente criara. Já não era eu…

Nunca deixe que lhe roubem a sua essência!

Você é do tipo brincalhão ou quieto? Você é do tipo introvertido ou extrovertido? Você é do tipo colorido ou preto e branco? Você é do tipo que sonha muito ou não? Você é o que? Ultimamente ando refletindo bastante sobre isso. Sobre ser o que você é e sobre ser o que os outros querem que você seja. Eis aí um perigo! A minha personalidade é única e a sua também e não podemos deixar que nada nem ninguém nos roube isso ok? E eu vejo isso que acontece bastante, o roubo da essência, estranho né? Nem tanto...

Todos nós nascemos de um jeito e somos únicos. Desde pequenos temos dons e um jeito de olhar as coisas que é só nosso. Ao longo da vida cruzamos com pessoas diferentes de nós que muitas vezes não compreendem nosso jeito único de ser e se acham no direito de criticar/julgar a nossa personalidade. Um exemplo é o de pessoas introvertidas que sempre ouvem "nossa você está falando muito hein" ou "fulando não cala a boca" (em tom de ironia sabe), mas que infelizmente nunc…