Pular para o conteúdo principal

O amor não é para os que desistem fácil

Houve um tempo no qual a melhor saída pra mim sempre era a desistência. Não gostava de certo lugar? Fácil, era só não ir mais lá. Não gostava de tal pessoa? Mais fácil ainda, era só deixar ela de lado. Não gostava do aspecto de tal comida? Nem me dava o trabalho de experimentar. A palavra que me movia era a desistência. Não tava legal? Não estava "dando certo"? Pronto, era só terminar. Desistir era "fichinha".

E pra você que está igual ao meu antigo eu, se liga aí...

Meu bem, descobri que o amor é realmente para os fortes. Não adianta entrar em um relacionamento com a ideia de terminar quando qualquer coisa desagradável acontecer. Para amar é necessário renúncia e coragem. Temos que renunciar a nós mesmos em certas ocasiões só para ver quem está ao nosso lado feliz. Temos que deixar o medo de lado nessas horas e assumir de maneira corajosa o posto de nº 2 nesse relacionamento. Você é parte da dupla. Você é uma das engrenagens que a move.
Fonte da imagem
Por muito tempo acreditei em romances do tipo em que tudo é lindo e maravilhoso e mais: romances em que casais estavam sempre felizes. Bobagem minha. Na real, o amor não é apenas isso. Junto com o romance vem toda a história de terror. Você tem que estar disposto a passar por ela. Você tem que ter coragem para enfrentá-la, porque depois dessa história de terror o romance vem sim e até melhor do que nos filmes.

No amor existe uma coisa que chamo de altos e baixos e passar por eles exige coragem. O amor não é e nunca será para aqueles que desistem fácil. O amor só passa a existir quando deixamos de desistir. Deixamos nosso ego de lado, olhamos pra frente e pensamos "ainda dá pra tentar", "ainda há chance". Deixamos nosso eu de lado para deixar o nós existir. O amor não é para os fracos. Há certa exigência de força de vontade para vivê-lo.

Caso você seja do tipo desisto fácil, saiba que precisará de desistir disso quando resolver viver intensamente com alguém, só aí verá o real significado do amor verdadeiro.

Comentários

  1. Desistir não é uma opção.Quando se trata de amor com certeza sempre é para o fortes porque passamos por muitos "filmes de terror" mais sempre estaremos em um "filme de romance".
    Gostei do texto *-*
    Bjnhs

    http://karoline-o-meu-melhor.blogspot.com/2015/09/pressagio.html

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo blog, você escreve muito bem, já estou te seguindo e te add também! Muito sucesso!

    Passa no meu depois, se gostar dos textos, siga também =)



    http://vaaaariasvariaveis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo carinho! Sucesso pra gente, beijocas!

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Obrigada Depressão!

Obrigada depressão por me ensinar aquilo que nenhum ensino fundamental, ensino médio ou  a faculdade me ensinou. Obrigada depressão, por me mostrar quem é de verdade e quem realmente me ajudou. Obrigada depressão, por me mostrar como o mundo ainda pode ser lindo em meio a tantos motivos para chorar e se amargurar. Obrigada depressão por me mostrar para que veio e por quem vale realmente a pena se importar. Obrigada depressão por fazer-me tanto me amar. Eu te agradeço, e não e pouco não.
Eu te agradeço por fazer-me resgatar. Agradeço por fazer-me resgatar aquela que sempre fui, mas ainda melhor e mais cheia para brilhar. Eu te agradeço por me fazer resgatar tudo aquilo que me faz mais plena e escrever é apenas mais um item dessa lista. Eu te agradeço por me mostrar o verdadeiro valor de um olhar, o valor de um olhar que está lá, apenas me esperando para ajudar. Em meio a tanta dor eu confesso que não quis te aceitar, mas hoje em dia eu vejo que o melhor que fiz foi te deixar entrar.
O…

O dia em que deixei de me afogar e aprendi a nadar sozinha

Senti desespero. Me senti sozinha mesmo estando entre tantas pessoas. Eram pessoas que me amavam, eu sei disso. Cuidavam de mim. Eram meus amigos. Por que tanto medo? Por que tanto receio? Por que esse desespero? Eu não sei. Simplesmente sentia e vinha como um furacão, era apenas um pensamento e pronto: desespero, confusão e angústia tomavam conta de mim. Eu não entendia e ninguém entenderia. Como entenderiam algo que nem mesmo quem sente entende? Me sentia perdida e só. Me sentia confusa e incompreendida. Não me sentia eu e isso era péssimo. O que estava acontecendo? Por que sentir tudo aquilo?
Você estava ao meu lado, você sempre esteve. Obrigada. Conversei contigo, desabafei e tive vontade de chorar... E chorei. Precisava daquele momento. Estranho momento. Você me ouviu, assim como alguém que ouve atentamente ao recado de alguém para saber o que fazer depois. Você me ouviu, processou o que eu te dizia e logo percebeu quantas asneiras e peripécias a minha mente criara. Já não era eu…

Penso, logo sonho...

Eu sonho com aquilo que é possível, mas sonho com aquilo que parece impossível também. É que o impossível e o "jamais feito" muito me atraem. Não me levem a mal, mas é que o mundo já me enche tanto daquilo que é igual, daquilo que é rotina, que sonhar com a impossibilidade me faz transcender. Se depender de mim já sabe, eu não vou parar enquanto não ver o impossível acontecer. Vou mover mundos e fundos, mas nunca vou pensar em desistir ou achar que não sou capaz, porque desistir pra mim já é um verbo que nem gosto de pronunciar e na incapacidade eu definitivamente não acredito.

O engraçado é que sempre fui assim, sonhadora, e ai de quem tenta tirar isso de mim. Não pode! Tirar os sonhos do meu coração é como matar a minha alma com tantos "não". Por que não posso criar tal coisa? Porque não. Por que o mundo não pode ser diferente? Porque ele é assim, oras... Como assim? Tudo bem que mudar tudo pareça tão utópico, eu entendo, mas pelo menos uma parte dá pra tentar va…