Pular para o conteúdo principal

Em 2016 eu assisti... O primeiro amor

Quem nunca teve aquelas paixões inocentes e até platônicas durante a infância? Paixões daquelas que temos vergonha de contar para os nossos amigos e até para a nossa família?

O que aconteceu com essa paixão? Virou amor ou só ficou no passado como uma simples lembrança? Eram "coisas de criança" ou era o amor querendo nascer? No caso de Juli Baker, essa paixão realmente virou um amor e até platônico e a acompanhou durante anos, até mais do que ela esperava...

Tudo começo quando ela conheceu Bryce Loski. O primeiro olhar, a faísca do primeiro sentimento, e pena que só para um dos lados. Juli já era moradora do bairro quando Bryce veio fazer parte da vizinhança. Ela foi ajudá-lo na mudança, mas desde lá o que ela recebera era apenas repulsa por parte de Bryce. A família dele, bastante conservadora por causa de seu pai, mantinha distância dos vizinhos e consequentemente ele de Juli. Isso só fazia aumentar o que ela sentia por ele, afinal, nada como um desafio para aumentar ainda mais a paixão.

As aulas iniciaram e os dois acabaram por estudar na mesma sala. Para ela era mais uma chance de conquistá-lo já que agora ele estava mais próximo. Mas ele estava decidido e não voltaria atrás, não daria chance alguma para Juli Baker.

E assim foi durante anos...
Uma paixão que nasceu durante a infância de Juli e a acompanhou por toda a adolescência.

Chegando próximo ao fim da adolescência alguns acontecimentos na vida de Juli a fizeram amadurecer e ver a vida de outra forma. Um deles foi o derrubamento de uma árvore próxima a sua casa onde ela subia diariamente e fazia dela uma espécie de refúgio para os seus problemas. No dia do derrubamento Bryce não se comoveu com Juli e a deixou lá, em cima da árvore, sozinha.

Sua amada árvore foi derrubada e Bryce Loski simplesmente não fez nada para mudar isso ou consolá-la. A partir daí ela começou a mudar e  perceber que o amor não podia existir em apenas um dos lados. Agora Juli Baker estava certa de que o amor foi criado para ser recíproco e no caso dela não estava sendo. Algo precisava mudar. E esse algo foi... ela mesma.

A partir dali Juli resolveu esquecer Bryce, mas o que ela não esperava é que dessa vez quem havia se apaixonado era ele. O dia do derrubamento da árvore mostrara como Juli era uma garota guerreira, por quem valia a pena lutar. Agora o jogo havia sido revertido, da forma que Juli tanto sonhara, da forma que ela mesma resolvera deixar no passado. Quem sofreu durante tanto tempo amadureceu e quem não sofrera por nada estava prestes a iniciar a mesma batalha. E assim foi. Bryce vivia procurando por Juli que agora estava mais decidida do que nunca. Ele agora percebera que ela fazia sim a diferença em sua vida e queria mudar tal situação.

E agora, o que seria dos dois? Uma história de amor fadada ao fracasso ou submetida a um grande recomeço?
Fonte da imagem
A história se desenrola sobre esse enredo. O primeiro amor é um filme calmo que promete certas doses de melancolia por parte de Juli. Além disso, traz lições de vida, como a de aproveitar o amor quando ele está bem ali a sua frente. O filme O primeiro amor se encerra de uma forma tranquila e com aquele gosto de "ah, que pena que acabou, achei que teria mais emoções". A história toda não possui grandes emoções, ela traz a verdadeira tranquilidade que o amor traz consigo. É uma ótima opção para os adeptos ao amor a moda antiga, ou para os adeptos ao amor a moda futura também rs, afinal, o amor é e sempre será o mesmo em qualquer época.

E aí gostaram da resenha do filme? Espero que sim *-*
Beijocas e Paçocas e até a próxima :*

Comentários

  1. EU AMO ESSE FILME COM TODAS AS MINHAS FORÇAS, É MUITO FOFINHO!
    Mesmo que eu fique toda chorosa no final e mesmo que eu deseje muito uma segunda parte, ele por si só já é maravilhoso!

    irianneveloso.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou, como eu disse na resenha eu o achei um pouco calmo demais rs, queria mais adrenalina kkkk beijocas e paçocas :*

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Enfim encontrei

Enfim encontrei um novo motivo para sorrir. Em meio ao caos, em meio a dor, em meio a solidão a escrita fez morada. Entre mil e um motivos para chorar eu pude voltar a sorrir. Por meio da escrita pude deleitar-me sobre as palavras e os sentimentos então expressar. A caminhada não foi fácil, mas o gosto do encontro fez valer a pena. No meio da vida, isso pode acontecer com qualquer um, e comigo aconteceu. Eu então me perdi. Fotografias, textos e lembranças vinham como uma ponta de luz na escuridão que o mar de desencontros me proporcionou. Mas, enfim encontrei.

Nessa caminhada muitos me ajudaram. O que eu não entendia era que quem tinha o mapa em mãos era eu. Ninguém mais, ninguém menos que eu mesma tinha o poder em mãos, o poder de me reencontrar. Enquanto esperei por todos a minha volta, o mar de desencontros apenas ficava mais fundo. E o encontro que tanto almejava apenas se afastava. Mas eu enfim encontrei. A escrita foi a minha grande aliada. Por meio dela pude reencontrar quem eu…

Hoje é tempo de regar

Hoje é tempo de regar. Hoje é tempo de cultivar aquilo que quero viver. Hoje é tempo de amar. Hoje é tempo de fazer o que eu ainda não fiz e manter aquilo que de bom já fiz. Hoje é tempo de agradecer mais em vez de reclamar. Hoje é tempo de escolher qual é o tipo de vida que eu quero viver. Hoje é tempo de ser quem eu sempre quis ser. Hoje é tempo de agir. Hoje é tempo de pensar, mas é tempo de respirar também. Hoje é tempo de relaxar, apenas trabalhar também não dá. Porque um dia, ah, um dia, todos iremos colher...

Hoje é tempo de investir. Hoje é tempo de brilhar. Hoje é tempo de reavaliar. Hoje é o tempo perfeito para olhar mais para o meu jardim. Hoje é tempo de escolher as sementes que quero plantar. Hoje é tempo de me conhecer. Hoje é o dia perfeito para regar em vez, novamente, de reclamar. Hoje é tempo de olhar com mais carinho para aqueles que quero por perto. Hoje é tempo de perdoar. Hoje é tempo de pedir perdão. Hoje é tempo de se priorizar. Hoje é tempo de plantar. Hoje é…

Série "Eu saí da depressão, você também pode!" - Início

Eu sempre sonhei em ajudar pessoas. Não sei por qual motivo em qualquer situação que algum ser humano estivesse em dificuldade estava lá eu ouvindo e dando altos conselhos. No início do Suave Pensamento eu fiz isso e ao longo do tempo (na vida real rs) também, eu só não imaginava a proporção que isso poderia tomar. Não imaginava que aqui poderia se tornar um lugar que sim eu pudesse ajudar o maior número de pessoas possível. Hoje em dia o Suave Pensamento se tornou esse lugar, um lugar de acolhida e de auxílio por meio das palavras. E assim vai ser com a Série que, desde os tempos de depressão, eu estava querendo criar e que se chamará "Eu saí da depressão, você também pode!".

Vamos entender um pouco mais dessa história?

Há 4 anos atrás eu entrei em depressão. Devido a inúmeros acontecimentos em minha vida que não soube lidar e maus hábitos (falta de equilíbrio entre as áreas da vida - a vida não é só estudo e trabalho não viu! rs) o corpo e a mente não aguentaram e pediram …